segunda-feira, 8 de maio de 2017

Dos Sentimentos







A dor que dói em mim
Dói sempre bem antes
De doer em você.

Arranho meus braços,
Subo pelas paredes,
Perco a compostura,
Choro até morrer.

Enquanto isso,
Tu me observas, tranquilo,
O lenço pronto
Para me estender...

E quando eu me calo,
A tua dor, finalmente,
Começa a doer.

Dor atrasada,
Amplificada,
Que mais demora a morrer.

Mas lá estou eu,
Com o mesmo lenço
Lavado e perfumado,
A te oferecer.









Um comentário:

  1. A vida norteada por emoções e sensações fogem à esfera do entendimento dos "sapiens". Dias virão que os "sensates" sobreporão aos "sapiens".

    ResponderExcluir

Obrigada pela sua presença! Por favor, gostaria de ver seu comentário.

Contas

Eram contas de um colar pesado, Sem brilho, um tanto funesto Que alguém usava em volta do pescoço Como uma forma de p...