segunda-feira, 8 de maio de 2017

Dos Sentimentos







A dor que dói em mim
Dói sempre bem antes
De doer em você.

Arranho meus braços,
Subo pelas paredes,
Perco a compostura,
Choro até morrer.

Enquanto isso,
Tu me observas, tranquilo,
O lenço pronto
Para me estender...

E quando eu me calo,
A tua dor, finalmente,
Começa a doer.

Dor atrasada,
Amplificada,
Que mais demora a morrer.

Mas lá estou eu,
Com o mesmo lenço
Lavado e perfumado,
A te oferecer.









Um comentário:

  1. A vida norteada por emoções e sensações fogem à esfera do entendimento dos "sapiens". Dias virão que os "sensates" sobreporão aos "sapiens".

    ResponderExcluir

Obrigada pela sua presença! Por favor, gostaria de ver seu comentário.

Mandrágora

Teu Nome – raiz de mandrágora Perpassando o meu caminho, Me fazendo tropeçar... Um dragão adormecido Em isolada cave...