Lembrança







Quem morre,
É como um pássaro que se lança num abismo
E nunca mais pousa.

Gosto de olhar para o céu
E pensar em voos eternos,
Asas que movem-se, abertas
Por sobre a saudade dos vivos.
Estranho, como nos tornamos
Tão próximos de quem se vai,
Pois é possível, sempre,
Olhar para cima e revê-los,
Abranger distâncias 
Através dos pensamentos.

E essas águias que planam,
O que sentem?
Escutam as preces sopradas,
Ou pairam sobre as saudades
Num voo longo e solitário
Sem pousos, sem sofrimentos,
Adormecidos?

Mas há manchas no azul,
Há sombras dentro das nuvens
E um brilho diferente 

No meio de cada estrela.






Comentários

  1. Acredito que estes vôos são solitários mas tb permeados de lembranças boas.

    Lindo isto ...

    Beijão Ana

    ResponderExcluir
  2. Eu gosto de olhar para o céu e imaginar tanta coisa.
    bjokas =)

    ResponderExcluir
  3. Gosto de olhar o céu e dar asas ao meu pensamento para que vá buscar as melhores imagens que puder e que venham emocionar o meu coração.
    Um abraço.
    Élys.

    ResponderExcluir
  4. Olhar para os céus sempre é muito bom e traz revelações... Gosto de refletir nos voos das águias!
    Obrigada pelo comentário por lá...

    ResponderExcluir
  5. Este olhar, esta saudade que vem do céu com lembranças de quem nos deixou e virou pássaro que habitam as noites e nossos dias. É lindo ver uma ida assim neste voo que sabemos ultimo, ameniza a dor, alivia a saudade.
    Então vamos olhar os céus como uma arvore onde pousam os que amamos e que nos deixaram ainda em asas.
    Belo trabalho Ana.
    Abraços com carinho.

    ResponderExcluir
  6. Um olhar celeste reflexivo e sentido aliado ao pensamento que expressa saudades de quem partiu.Linda e forte inspiração.

    Bjs!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Obrigada pela sua presença! Por favor, gostaria de ver seu comentário.

Postagens mais visitadas deste blog

Doce de Abóbora

VIDA

Sentidos