sexta-feira, 18 de dezembro de 2015

EU HOJE ACORDEI





Eu hoje acordei com o gosto do sonho na língua,
As saias de outros mundos pelo chão, ainda,
As pontas escapando entre os vãos dos meus dedos,
Um vento me beijou, selando as passagens...

Um riso manso, bonito e de tom tão profundo
Ainda nos ouvidos, qual frescas aragens,
Saiu pela janela, balançando as asas,
Voou sobre os telhados, voltando pra casa...

Ficaram sobre a fronha algumas lembranças,
Mas logo o sol levou-as - a vida prossegue,
Até que um dia, o mesmo sonho assim me leve,
Tornando-me riso, sabor, e esperança.






Um comentário:

Obrigada pela sua presença! Por favor, gostaria de ver seu comentário.

É QUE ÀS VEZES, O ADEUS PESA...

Não, não pude olhar para trás,  Atravessar aquela rua, Ir ao pé da tua janela E me despedir. Não, eu  não pude hes...