sexta-feira, 17 de maio de 2019

Mentiras que Amamos










A verdade era quase óbvia; estava na falta de concordância verbal evidente em quase todas as suas falas, nas datas equivocadas, nos diplomas inexistentes para mestrado em Harvard e também na cronologia impossível de suas histórias. Estava no tom de voz exagerada e falsamente sofrido durante a palestra da TED e nos relatos de vida desencontrados, na fala compulsiva de quem fingia demonstrar a não vitimização usando a vitimização para justificar-se (sou negra, mulher, pobre e venci na vida).

Porém, aquela era exatamente a mentira que eles estavam procurando para exaltarem e justificarem suas causas: a mulher pobre, negra, sofrida, excluída, que através de força de vontade e muita luta, dá a volta por cima e vai fazer doutorado em Harvard. 

E a mentirosa foi entrevistada, exaltada, premiada cinquenta vezes, aplaudida por artistas lacradores, e até mesmo teria sua incrível biografia exibida em um filme. 

Só que não.

Uma leve arranhada na superfície (que ninguém teve a coragem de dar, talvez porque a mentira lhes estava sendo útil e colaborava com a causa que defendiam) foi o suficiente para desmascarar a farsante. E a verdade é assim: uma vez que ela vem à tona, nunca mais poderá ser ignorada. 

E a atriz Global lacradora Taís Araújo, em ato de falsa nobreza e humildade, ainda teve tempo de negar interpretar o papel de Joana D’arc por não se achar negra o suficiente para tal. 

Ontem à noite, andando pelas cercanias do Youtube, ainda deparei com uma outra moça (atriz Global também, para variar) que justificou a atitude da professora, alegando que se não fosse assim, uma mulher pobre, negra, etc, etc como ela, jamais teria alcançado a notoriedade que alcançou; ainda se referia aos brancos (em extrema atitude de preconceito e falta de respeito) como “A branquitude.”  Daí eu me pergunto: qual a vantagem de se alcançar notoriedade através de uma mentira tão horrorosa???

É isso, minha gente.

O caso da professora deveria ser analisado por psiquiatras, pois pode se tratar, realmente, de um problema mental sério. Se nenhum problema psicológico for detectado, acho que ela deveria ser afastada do seu cargo e punida pela mentira que propagou, pois não está apta a servir de modelo aos seus alunos. 

Mas toda essa história nos serviu para uma coisa: provar a necessidade de verificar notícias antes de espalhá-las a torto e a direito. Escolher  analisar histórias antes de decidir acreditar nelas. Depois de ver quanta gente ‘inteligente’ e poderosa foi enganada facilmente por uma mentira tão mal contada e de verificação tão simples, dá para entender melhor o poder de uma mentira bem contada. 






8 comentários:

  1. Querida amiga Ana, boa tarde!
    A mentira um dia é desmascarada, li sobre e fiquei, como todo mundo, bem surpreendida, parecia real tudo,pois ela comprovara o dilpoma,embora eu não seja de confiar quase em nada mesmo, poistudo o que leio sempre dou um jeito de pesquisar se realmente é verdadeiro!
    Parece que a mentira anda em moda, temos a política como o maior exemplo!
    Abraços apertados.

    ResponderExcluir
  2. Infelizmente o mundo está cheio de gente sem escrúpulos :))

    Hoje :-[Poetizando e Encantando ] Um ilusório mundo feito de nada.

    Bjos
    Votos de uma óptima Noite

    ResponderExcluir
  3. Ana Bailune, adorei a história, por me parecer história verdadeira. É por essas e por outras que, sempre usei fazer uma espécie de "censura" a muita coisa. Ele há coisas em que nos fazem raciocinar e nos questionarmos. É verdade que se pode aprender pela negativa, mas servir de transmissor à mentira, conscientemente, eu digo não!
    Beijos

    ResponderExcluir
  4. O mundo está cheio de gente deste tipo, e ainda com títulos que não os transformam, maltratam tbm e ofendem os mais simples, vivenciamos esta semana algo do tipo aqui, fiquei muito triste

    ResponderExcluir
  5. Concordo inteiramente contigo, Ana.
    Um abraço

    ResponderExcluir
  6. Nossa!! Estou tão calejada com a moda das Fake News - uma praga -, que outras coisas não sei se é de acreditar ou não. Fico pasma. E a tendência é duvidar.
    bj

    ResponderExcluir
  7. Um caso triste. A mentira é muitas vezes usada pela comunicação social sem se interessar em saber a verdade dos factos. O que é preciso é impressionar as pessoas…
    Uma boa semana.
    Um beijo.

    ResponderExcluir

Obrigada pela sua presença! Por favor, gostaria de ver seu comentário.

QUANDO OS GURUS PERDEM A CABEÇA

Oi pessoal! Este é meu novo vídeo no canal Espiritualidade na Lata. Nele eu falo (como diz o título) nas situações em que os gurus pe...