quinta-feira, 25 de junho de 2015

ANDAR







Solto os passos no caminho,
E deixo que ele me guie
Até meu oculto destino.

O meu caminho é menino,
Longo, voluntarioso,
Feito de flores e espinhos.

E se passo displicente
Aceitando ser guiada
Pelo vento, ser levada, 

É que eu sei que eu sou folha,
Que um dia , estará seca
Caída na beira da estrada.



8 comentários:

  1. É Ana,
    essa é a melhor forma
    de conduzir a vida,
    não oferecer resistência,
    nada somos mesmo....
    Lindo, amei, obrigada,
    abraços carinhosos
    Maria Teresa

    ResponderExcluir
  2. Muito que andar e muito que aprender por aí.
    Crer que ao final pode não dar em nada que julgamos certo.
    E assim somos esta folha seca no outono de nós mesmos.

    Bom lhe ler com toda esta arte elegante.
    Abraços amiga e bom fim de semana.

    ResponderExcluir
  3. Enquanto não chegarmos a folhas secas, que já cumpriram seu mister, passaremos pelos caminhos aos quais a vida nos leva. Bjs.

    ResponderExcluir
  4. Que lindo, tanto o poema quando o visual do blog!
    As folhas secas, elas também fazem parte de nosso lindo viver, um dia todas ficam secas e "caídas na beira da estrada", então vamos indo cultivando a vida enquanto as folhas ainda estão lindas e verdinhas!
    Abraços linda amiga!

    ResponderExcluir
  5. Vamos conduzindo a vida com alegria e olhando para frente!!

    bjokas =)

    ResponderExcluir
  6. Olá Ivone minha querida amiga blogueira.
    Desculpe a minha demora em retribuir a sua visita.
    Estive bastante doente, mas já melhorando.
    Lindo texto.
    Uma alimentação saudável e o meu trabalho estão sendo o meu principal remédio.
    Paz e Luz.
    Um abençoado final de semana.

    ResponderExcluir
  7. Ana Bailune, se o poema contém uma verdade insofismável, não é menos verdade, termos de tudo fazer para atardar o murchar da folha. Imaginar um lindo poema, como o que apresentas, é seguir esse caminho.
    Beijos

    ResponderExcluir
  8. Andar por esta vida...um belíssimo poema.
    Desejo que a amiga se encontre bem.
    Bj.
    Irene Alves

    ResponderExcluir

Obrigada pela sua presença! Por favor, gostaria de ver seu comentário.

É QUE ÀS VEZES, O ADEUS PESA...

Não, não pude olhar para trás,  Atravessar aquela rua, Ir ao pé da tua janela E me despedir. Não, eu  não pude hes...