domingo, 19 de fevereiro de 2017

Eloquência









A chuva
Faz crescer a erva entre os caminhos
E constrói redondas poças
Que vão ficando cada vez maiores
E cada vez mais intransponíveis.

O vento se cansa
De transportar palavras fracas
Entre diferentes pares de ouvidos,
E as mensagens morrem,
Sem deixar qualquer eco.

Mas as sementes caídas
Displicentemente, das mãos distraídas,
São fertilizadas pela mesma chuva
Que faz crescer as ervas daninhas,
E o silêncio que dorme no vento
Torna-se bem mais eloquente
Do que qualquer palavra.





3 comentários:

  1. "...E o silêncio que dorme no vento/Torna-se bem mais eloquente/Do que qualquer palavra."
    Esses versos dizem muito, pois quem lê nos meios sociais as opiniões que muitos dão sem nenhuma reflexão estão de fazer e criar separações, discriminações, guerras.
    Aqui no Brasil estamos em guerra, nem sabemos ainda quando terminará?!
    Muito bom te ler, pensar é algo que, nem sempre se pode dizer o que se pensa, pois não há quem possa compreender!
    Abraços apertados querida Ana, tenhas um lindo domingo!

    ResponderExcluir
  2. Bom dia, Ana. É mesmo assim, querida amiga. Por vezes, o vento parece cansar-se, mas a chuva sempre faz tudo revigorar-se nas profundezas de um silêncio que fala mais do que as palavras. Aplausos!

    ResponderExcluir

Obrigada pela sua presença! Por favor, gostaria de ver seu comentário.

IDADE

UMA BRINCADEIRA - MAS UMA BRINCADEIRA SÉRIA! IDADE A idade  tocou-me no ombro,  Perguntando: “Quem é você?” ...