witch lady

Free background from VintageMadeForYou

segunda-feira, 25 de novembro de 2019

Há Sempre Alguém que Ouve




No meio do silêncio há sempre alguém que ouve,
E quando não houve,
Tu não estavas ouvindo.

Entre as gotas que caem do céu existem palavras,
Elas escorrem nas vidraças, mensagens d'água
Mas só poderão ler o que elas dizem
Aqueles que sabem conversar com a chuva
E escutar a voz do vento,
Aqueles que preferem ser felizes.

As ondas se quebram e trazem mensagens,
Espalham na beira da praia frases escritas na areia,
Mas tu as pisoteias
Enquanto procuras ver nas nuvens formas que não estão lá,
E mesmo se estivessem,
 Tu não as ia enxergar.

Há sempre alguém que ouve, 
Mas tu achas que falas sozinho, e te lamentas,
Tentas pedir que Deus te mande anjos,
Enquanto Ele tenta dar-te asas.

O milagre não é e nunca foi caminhar sobre brasas,
Mas ver e ouvir a vida com carinho e gratidão,
Aprender a dizer sim e aprender a dizer não
Nas horas certas,
Usar o poder da tua mão para atrair o que há de bom
E repelir os atos dos que só pensam 
Em destruir,
Sempre que tu puderes,
Sempre que tudo estiver diante dos teus olhos,
Ao teu alcance.

Há sempre alguém que ouve,
Escuta com atenção as folhas que se agitam,
Deixa que o vento leve até  elas o teu grito,
Deixa,
Pois alguém estará ouvindo...









9 comentários:

  1. Linda poesia e realmente, sempre há alguém que ouve ou vê!!! Linda semana! bjs, chica

    ResponderExcluir
  2. Ana , seu poema é lição de vida .
    É preciso saber ouvir apesar do burburinho deste tempo que nos envolve.
    Agradeço a partilha .
    Beijos

    ResponderExcluir
  3. Lindo ... Deixo meu registro, ando com dificuldades para ouvir as imbecilidades do ser.

    ResponderExcluir
  4. “No meio do silêncio há sempre alguém que ouve,
    E quando não houve,
    Tu não estavas ouvindo.”


    Assim a Poeta abre este belo poema. Parabéns também pela bela imagem!
    Uma semana de paz, Ana.
    Um abraço.

    ResponderExcluir
  5. Lindo poema e tens razão, há sempre alguém que houve...
    m abraço.
    Élys.

    ResponderExcluir
  6. Na poética afirmação da escuta certa, os dizeres traçaram cálidos conselhos, fortes constatações a formarem recosto seguro diante dos olhos, ao poder das mãos.
    Lindo e inspirador poema, cara Ana, e sim, há sempre alguém que escuta. Eu te escuto!

    Bjo,
    Calu

    ResponderExcluir
  7. Um poema muito belo, Ana, pela forma
    e pela expressão.
    Ritmo, poesia, harmonia e esperança.
    Grata pelos bons momentos de leitura.
    Dias serenos e muito agradáveis.
    Beijos
    ~~~

    ResponderExcluir
  8. Ana, parabéns por esta magnífica publicação!
    Imagem e versos, tudo perfeito!
    Há sempre alguém que ouve,
    "Escuta com atenção as folhas que se agitam,
    Deixa que o vento leve até elas o teu grito,
    Deixa,
    Pois alguém estará ouvindo..."
    Gostei de ler e vou reler.
    Beijo.

    ResponderExcluir

Obrigada pela sua presença! Por favor, gostaria de ver seu comentário.

Parceiros

O LIVRO VERMELHO

      Estou lendo (há alguns meses, por falta de tempo e também pela complexidade de suas mais de quinhentas páginas) O Livro Vermelho, de C...