terça-feira, 13 de abril de 2021

PELO SIM, PELO NÃO

 





Eu não sei se eu acredito

Em tudo aquilo que eu ouço,

Em tudo aquilo que é dito.

Caminho nas vias do mundo

Com passos bem cautelosos

E pensamentos caudalosos.


Pelo sim, pelo não

Eu faço o sinal da cruz

E tento focar melhor

Menos nas trevas, mais na luz.


Meu coração, sempre órfão,

Sozinho e desabrigado,

Não reside no futuro

Nem reside no passado.


Pelo sim, pelo não,

Eu sigo com a mesma fé

Que se transformou em grão

De mostarda, no caminho.

Eu ando olhando as estrelas

(Contente de ainda vê-las)

E aguardo, apreensiva

Só pelo sim, pelo não

Aquilo que me contaram:

-Três dias de escuridão.




5 comentários:

  1. Muito linda a tua poesia e não podemos mesmo acreditar em tudo que vemos ou ouvimos, mas, pelo sim, pelo não, precaucão... beijos, chica

    ResponderExcluir
  2. Pelo sim, pelo não, continuamos nossa caminhada e seja o que Deus quiser.

    ResponderExcluir
  3. é bom sermos cautelosos porque todos os cuidados são poucos... Gostei muito do poema.
    Uma boa semana com muita saúde.
    Um beijo.

    ResponderExcluir
  4. Eu faço o sinal da cruz

    E tento focar melhor...

    Bom dia de sexta-feira, querida amiga Ana!
    Assim faço também e várias vezes ao dia
    Sinto a real Proteção do divino.
    Tenha um abençoado final de semana!
    Beijinhos carinhosos e fraternos

    ResponderExcluir
  5. Que bom vir aqui e me encantar com seu poetizar sempre belo e elegante e com reflexão.
    Lindo Ana, pelo sim e pelo não, pelo vinho e pelo pão, que nos alimente o espirito cada vez mais na fortaleza de saber onde pisamos.
    Meu abraço amiga.

    ResponderExcluir

Obrigada pela sua presença! Por favor, gostaria de ver seu comentário.

SÓ QUERO TER O DIREITO DE DIZER O QUE EU QUISER.

  Porque palavra calada É uma vida sufocada, Eu quero ter o direito De dizer o que eu quiser. Caso eu esteja certa,  Ou mesmo estando errada...