sexta-feira, 30 de abril de 2021

O SANTO


Detrás de todo santo

Existe um pau oco

Onde ele esconde seu verdadeiro rosto,

E os seus arrotos. 

As barras de suas saias rotas

Tocam as sandálias gastas

Que cruzaram esgotos

E pisotearam seus próprios sonhos mortos.

O santo do pau oco

Não tem olhos para as nuvens,

Ou para o céu;

Ele vislumbra o inferno, 

E por isso o enxerga aonde quer que vá.

Sua auréola puída

Quase nada sabe daquilo que ele chama vida.

Sedento das orações e adorações que lhe dirigem os desesperados,

Tal santo sobrevive do sangue

Dos corações magoados.






6 comentários:

  1. Bom dia de paz, querida amiga Ana!
    Coitado dos "santos paus ocos"!
    Pensam que enganam a Deus... Pobre coitados!
    Bebem do seu próprio veneno, certamente.
    Tenha um final de semana abençoado!
    Beijinhos carinhosos e fraternos

    ResponderExcluir
  2. É o que mais existe nos dias de hoje ... Santo do pau oco.
    Bela reflexão poética.

    Beijos

    ResponderExcluir
  3. Santinhos do pau oco???Aff..XÔ!!! beijos, lindo feriadão! chica

    ResponderExcluir
  4. E há imensos santos de pau oco. O poema está excelente.
    Uma boa semana com muita saúde.
    Um beijo.

    ResponderExcluir
  5. Belo e profundo poema Ana, em perfeita definição dos falsos heróis, santos e mitos e salvadores. Nem precisa dormir com eles, para se lhes conheça a essência.
    Um show Ana de inspiração e criatividade.
    Carinhoso abraço e feliz semana mais leve.

    ResponderExcluir
  6. Mais um belo momento.
    "Tal santo sobrevive do sangue
    dos corações magoados"
    Infelizmente é o que acontece na maior parte das vezes.
    Gostei muito.
    brisas doces *

    ResponderExcluir

Obrigada pela sua presença! Por favor, gostaria de ver seu comentário.

Parceiros

EU

  Eu tenho passado por mim Inúmeras vezes Ultimamente. Estanco meu passo de repente Fitando a minha imagem que passa, E ela segue ...