witch lady

Free background from VintageMadeForYou

quarta-feira, 12 de junho de 2019

TRUCULÊNCIA






O dia desperta,
Pisoteando com truculência as saudades que a noite deixou.
Ergue sua lança no espaço, 
E mirando o horizonte, a arremete,
Rasgando as nuvens claras da manhã.

O percurso dessa lança será lembrança que a noite chorará,
Saudade que vai brotar de um dia que se foi,
Pessoas que se foram,
Momentos que não mais são.

E incontestavelmente, um outro dia chegará, rompendo o arrebol, 
E pisará displicentemente as saudades decaídas,
Pois o dia vem dizer que viver é ir em frente,
Rasgando as nuvens claras e erguendo as mãos ao sol
Para que não sejam esmagadas,
Sobrepujando o que não mais cabe
Nas urgências desse dia.






9 comentários:

  1. Adorei. Muito bom :))
    Do nosso amigo Gil António:-Lágrimas de amor

    Bjos
    Votos de uma óptima Quinta - Feira.

    ResponderExcluir
  2. Há coisas que não cabem mais em nós, nos nossos dias, mas a alma teima em querer guardar. Lindo

    ResponderExcluir
  3. Wow! That's a delightful poem. It translates into English beautifully, but it makes me wonder what I miss by not being able to read and understand it in its original form.

    Have a wonderful weekend!

    ResponderExcluir
  4. Oi Ana, Muita LUZ.
    Lindo poema.
    Saudades de pessoas que se foram,
    mas vida que segue.
    Um abraço.

    ResponderExcluir
  5. Cada amanhecer merece uma reflexão e o nosso maravilhamento, como o que fez neste poema.
    Uma boa semana.
    Um beijo.

    ResponderExcluir
  6. Os que foram permanecem para sempre no nosso coração.
    Os que ficam têm de celebrar a vida, o milagre da vida, todos os dias.
    Ana, gostei muito do seu poema.
    Beijo, boa semana.

    ResponderExcluir

Obrigada pela sua presença! Por favor, gostaria de ver seu comentário.

Parceiros

AS LUZES DO MUNDO

  (Crônica baseada em um poema de Lucia Bauer)     Ontem a noite estava cálida. Eu, meu marido e nossos dois cães nos sentamos no jardim, co...