terça-feira, 25 de junho de 2019

Desumanidade



Escrevi este texto baseada em algumas postagens que vi em outros blogs sobre a figura acima - uma interação proposta pela Chica. Espero que você não fique zangada, Chica!





Foi há alguns anos; eu tinha saído de casa às seis da manhã e estava aguardando o ônibus para dar minha primeira aula do dia, que começaria às sete. Era uma manhã fria de inverno, e havia pouca gente na rua. 

De repente, vi quando uma caminhonete modelo caríssimo parou no meio da rua a alguns metros de onde eu estava, e sem desligar o motor, abriu a porta e empurrou para fora um cão Pitt Bull. Ele era de cor castanha, e ficou lá, parado no meio da rua, olhando a caminhonete se afastar, como a perguntar a si mesmo o que estava acontecendo, por que o tinham deixado ali e para onde ele deveria ir. Fiquei com um pouco de medo; afinal, esta raça tem fama de ser agressiva, e o cão era de porte médio e muito musculoso. Eu estava ainda pensando se deveria me aproximar ou não quando um outro carro veio e passou por cima do cachorro, que rolou por baixo do chassi. 

Eu fiquei chocada, sem ação. Se arrastando e gritando, o cão conseguiu chegar até o meio-fio, onde deitou a cabeça. Quando cheguei perto dele, segundos após o atropelamento, ele estava morto. O carro que passou sobre ele nem fez uma tentativa de frear, e fiquei pensando que tudo aquilo tinha sido combinado: o abandono pelo carro da frente e o atropelamento pelo carro que veio logo atrás. Tudo foi muito rápido; questão de segundos. 

Eu me senti enjoada e triste. Tinha um nó na garganta ao constatar que nada mais poderia ser feito para ajudá-lo. Voltei ao ponto de ônibus, e quando me virei para olhar o cão, um grupo de cães de rua o havia cercado, latindo e uivando em volta dele como se lamentassem o acontecido. Quando um carro passava, eles o perseguiam, latindo e tentando morder os pneus como se quisessem vingar a morte do Pitt Bull. 

Aquele foi um dia difícil, pois eu não conseguia esquecer a cena que tinha presenciado pela manhã. Passei o dia todo deprimida e revoltada. 

Alguém que abandona o próprio cão daquela maneira, quando poderia doá-lo para outra pessoa ou até mesmo pedir ajuda a uma instituição protetora para que lhe arranjassem um dono, é alguém capaz de qualquer coisa. Um cão não é lixo. Infelizmente, existem pessoas que os abandonam quando estão velhos ou doentes, ao mudarem-se para outro local ou simplesmente porque cansaram-se de cuidar deles. 

Fico me perguntando como pode uma pessoa não desenvolver qualquer grau de afeto por uma criatura que criou desde pequeno. Provavelmente, tal pessoa não tem afeto sincero sequer por si mesmo ou pelos seus.

Cães não têm a mesma compreensão das coisas que temos. Porém, eles não têm ambição, inveja, cobiça, raiva. Acredito que o coração de um cão é um campo semeado de amor, e quando vejo um cão bravo e agressivo, sei que é porque algum ser humano matou tais sementes. Só quem já trocou um olhar sincero com um cão poderá falar sobre a pureza de sua alma. 




12 comentários:

  1. Ana, adorei! Ficou lindo e penso como tu... Não compreendo que não reconheça o quanto eles fazem bem e despretensiosamente, só pedindo carinho! Obrigadão! beijos, chica e levei teu link pra lá!

    ResponderExcluir
  2. Não são sere humanos. São SELVAGENS !
    Gostei muito da forma como relatas !

    Um beijo, querida Ana.

    ResponderExcluir
  3. Boa noite de paz, querida amiga Ana!
    O papel de parede do seu blog e belissimo.
    Tenho pavor desta raca, mas dai a passar por cima sao outros quinhentos. E Preciso ser muito cruel. Muito sem 💝.
    Gostei muito da sua grandiosa participacao.
    Tambem fiz a minha baseada nos sentimentos pois sao seres vivos.
    Tenha uma noite abencoada!
    Bjm carinhoso e fraterno de paz e bem

    ResponderExcluir
  4. Nossa Ana que triste! Mas acontece há todo instante isso acontece, abandono de animais qdo não são judiados . O ser humano mata estrupa e abandona suas crianças fazem os mesmos com os animais! Eles são monstros não são gente!

    ResponderExcluir
  5. Oi Ana, que bom que você veio para enriquecer ainda mais esta bela BC da Chica e com um relato que engloba algo que escrevi.O abandono de animais tem sido constante neste estilo que relata e muitos acabam por ter este fim. É a irracionalidade humana amiga.
    Emocionante e um grito pelo amor e cuidado com os animais em todas as condições.
    Carinhoso abraço amiga e venha sempre nesta leitura de imagem da Chica.
    Que a semana esteja a fluir belamente.
    Precisando passar lá no canal agora que passaram os festejos juninos.

    ResponderExcluir
  6. Gostei do texto apesar de triste. :(

    Bjos
    Votos de uma óptima Quarta - Feira

    ResponderExcluir
  7. Bom dia, Ana
    Infelizmente certas pessoas se comportam desta forma.
    É revoltante e muito triste.
    Me emocionei com o seu texto.
    Tenha um excelente dia.
    Um carinhoso abraço de
    Verena.

    ResponderExcluir
  8. Profundamente lamentável!

    Cães não têm a mesma compreensão das coisas que temos. Porém, eles não têm ambição, inveja, cobiça, raiva. Acredito que o coração de um cão é um campo semeado de amor, e quando vejo um cão bravo e agressivo, sei que é porque algum ser humano matou tais sementes. Só quem já trocou um olhar sincero com um cão poderá falar sobre a pureza de sua alma.

    Beijos

    ResponderExcluir
  9. Condoída, estou plenamente de acordo consigo, Ana...
    É preciso falar... talvez assim possamos contribuir,
    de algum modo, para a erradicação da desumanidade.
    Tudo bom.
    Abraço
    ~~~

    ResponderExcluir
  10. Boa tarde Ana,
    Uma cena que faz doer o coração. Já vi um caso semelhante de abandono na estrada. O carro foi embora e o cachorrinho corria, corria, muito veloz, mais veloz que o meu carro em perseguição dos donos, que até afligia. Lá mais à frente o carro parou e recolheram o cachorrinho que à janela do carro respirava com dificuldade. Eles só pararam, porque foram vistos. Não sei não o que aconteceu depois ao pobre animal.
    Enfim, haja consciência e deveres para com os animais que merecem todo o nosso respeito.
    Beijinhos,
    Ailime

    ResponderExcluir
  11. Gostei de ler o texto, embora me sinta triste.
    Como pode o ser humano ser tão cruel.
    Não entendo!
    beijinhos
    :(

    ResponderExcluir
  12. Olá, Ana...
    Que bom que está participando também do desafio da Chica.
    Uma história curiosa e é lamentável o fato, triste mesmo. Ah!, mundo cão!
    Abraço

    ResponderExcluir

Obrigada pela sua presença! Por favor, gostaria de ver seu comentário.

SÓ QUERO TER O DIREITO DE DIZER O QUE EU QUISER.

  Porque palavra calada É uma vida sufocada, Eu quero ter o direito De dizer o que eu quiser. Caso eu esteja certa,  Ou mesmo estando errada...