witch lady

Free background from VintageMadeForYou

sábado, 2 de outubro de 2021

SOB A ONDAS

 



Mistérios submersos,

Inconfessos,

Brilhando de tanto sal,

Que seca nos versos...


Marulhos quase inaudíveis

No movimento das ondas,

Sereias desfazem suas tranças

Oblongas.


Eu me sento na areia

E não tento compreender...

Há muito não sei nadar,

Temo perecer.


Netuno silenciou

As vozes, com seu tridente,

A palavra se afogou

No coração da gente.






6 comentários:

  1. Lindo e há tanto a contemplar no mar que por vezes palavras se calam...bjs, chica

    ResponderExcluir
  2. Que lindo, inspiração maravilhosa, o mar tem seus encantos e mistérios!
    Amei ler aqui querida amiga Ana!
    Abraços apertados!

    ResponderExcluir
  3. Ana,
    Lindos versos e
    grandes verdades.
    Eu não me contento em
    sentar na areia e
    só olhar, mesmo sem saber
    nadar eu entro na água.
    É sempre uma delícia
    vir aqui.
    Bjins de bom domingo
    CatiahoAlc.
    Do Blog Espelhando
    https://reflexosespelhandoespalhandoamigos.blogspot.com/?m=1

    ResponderExcluir
  4. Boa tarde de domingo, querida amiga Ana!
    Diante do mar, eu também emudeço... Muitas vezes, o encharco mais com minhas lágrimas.
    Tenha dias abençoados!
    Beijinhos com carinho de gratidão

    ResponderExcluir
  5. Também me sentei na areia para ver o mar e imaginar as sereias a desfazerem suas tranças. Um poema com um imaginário encantatório. Gostei imenso.
    Uma boa semana com muita saúde.
    Um beijo.

    ResponderExcluir
  6. Heptasssílabos encantadores!
    Também gosto do mistério do mar...
    Beijo
    ~~~

    ResponderExcluir

Obrigada pela sua presença! Por favor, gostaria de ver seu comentário.

Parceiros

PALHA

  Vasculho o entulho Desse meu silêncio Em busca de algo Que eu tenha a dizer, Uma inspiração, Palavra parida Do ventre da vida. O vento fus...