Postagens

Mostrando postagens de Agosto, 2016

...E O SOL VOLTOU A BRILHAR...

Imagem
A Terra estava escura, E o solo duro e seco... Morriam as esperanças Sob a lâmina tão dura.
Os raios do sol, tão fracos, Não chegavam às raízes! E as flores, e as plantas, Murchavam, tão infelizes!
O brilho do nosso sol Tinha sido desviado, E a escuridão espalhou-se Reinando por todo lado.
Pessoas sem dignidade Arrastavam-se nas ruas Deixando os sonhos na esquina Por aquela efígie escura!
Mas o sol, que é bem mais forte, Veio a brilhar outra vez, Nos concedendo outra chance, Reparando o mal que se fez...
Pois sob o céu, de repente, O sol voltou a brilhar E aquela nuven negra Voltou ao seu vero lugar!
Foi escrita, na história Uma linha de alegria, Nos lembrando quem cantou: "Amanhã vai ser outro dia!"





Poemas Antigos

Imagem
Em diversas fases da minha vida, eles me pediram para nascer. Dei-lhes  voz, e é de minha responsabilidade que eles continuem vivos. Republicações.


Caminhos e Ilhas

Caminhos vários entre as trilhas Passos que recolhem milhas As filhas do tempo Perdidas nas ilhas, Isoladas pelo pensamento.

Barcos naufragam com o vento, As trilhas cobrem-se de escombros, E tudo: o tempo, a distância, o pensamento, Desfazem, dos barcos, as quilhas.

Nós naufragamos; o mar nos traga, Somos criaturas sem famílias, Sozinhos nessa imensidão Construímos pontes entre as ilhas Para enganar a solidão.





Perdão

Se a minha religião permitisse, Eu juro, Te perdoaria... Mas meu deus caduco Ainda é aprendiz, E na eternidade Ele engatinha.
Perdi, há tempos, O que me restava de inocência, Por isso, Não te perdoo...
Mas o que ainda me resta De puro e religioso, Te deseja campos verdes, Lindos sonhos, E toda a paz que pode haver Lá longe, No alto, Nas nuvens.






Se Houvesse

Se houvesse uma palavra Que quebrasse esses muros E …

DEPOIS DA INOCÊNCIA

Imagem
A inocência é como Uma rosa de pétalas enrodilhadas, Que protegem o centro. Uma macia camada perfumada Cuja cor rosada Espalha seus tons sobre o que é visto E sentido.
Mas um dia, após tantos atritos, Ela murcha, As pétalas caem uma a uma, Expondo o centro ao vento mais frio, E a camada cor-de-rosa se recolhe, Se encolhe aos poucos, Desaparece...
E de repente, Nada mais é a mesma coisa, Os tons que vemos são fortes demais, Os sons que ouvimos são bruscos e rústicos, E a pele exposta aos arranhões Custa a curar-se, E mesmo após a cura,  Cobre-se de duras cicatrizes.
Não sei se é maldita ou bendita A hora em que perdemos a inocência... Só sei que nada, nunca mais, Será a mesma coisa, Pois nós nunca mais Seremos os mesmos.




Acabou

Imagem
Foram-se as Olimpíadas, o clima de festa, o Rio de Janeiro seguro (pelo menos, no local do evento) e as pessoas felizes postando fotografias no Facebook e torcendo pelo Brasil. Seria bom se todos torcessem assim pelo Brasil não apenas durante os jogos, mas principalmente, durantes todas as dificuldades que estamos enfrentando.
E eu, que fui contra a realização dos jogos olímpicos por aqui porque achava que não teríamos a capacidade (além das condições financeiras) para realizá-los, tive que dar os dois braços a torcer. Foi um lindo evento. E o Brazil não fez feio. Mas agora, acabou. Voltemos à nossa saúde combalida, com suas filas enormes esperando por atendimento; voltemos aos mais de doze milhões de desempregados, à inflação galopante, à educação beirando ao desespero, CPIs e Lavajatos. 
Voltamos à realidade, e espero que não tenhamos esquecido a lição que aprendemos nesses últimos treze anos, e lição esta que aprendemos a duras penas. Agora é aguardar a conclusão de todos estes fa…

Vamos Lá Para Fora

Imagem
Vamos lá para fora, onde um vento forte sopra Fazendo redemoinhos nas nuvens cinzas de glacê. As folhas caem secas, caem tontas, silenciosas, E rolam sobre a grama, abrindo mão do viver...
Sentemo-nos no chão, e observemos o que passa Diante do olhar, sem julgamentos, sem trapaças, Deixemos que o vento nos desvende seus segredos, Fechemos bem os olhos, para que possamos ver...
Vamos lá para fora, onde um fraco sol perpassa Com languidez, as nuvens, dando o ar de sua graça E então, recolhe os raios, respeitando o tom de cinza Ensinando que há tempo para tudo nessa vida!
Deixemos que o tempo e o destino se encontrem, Sem nossa interferência, num momento só de paz... Sintamos que nós vamos na balada desse vento, Que somos como as folhas: breve pó do Nunca Mais!




AMAR COM TERNURA

Imagem
Amor não é fogo, Não deve queimar.
Amor sobrevive Do que há no luar, Do beijo das ondas, Das coisas que ficam, Que o tempo protege, Do que vale a pena Lembrar e guardar.
Amor deveria Ser brando, suave, Pois fogo é lascívia Que quebra as beiradas, Vivência apressada Na Lâmina fria Que corta sem ver A veia do amor Fazendo morrer...
Amar com ternura, Do jeito que dura, Dar laços, não nós, Saber estar juntos E também à sós, Ser sempre um mais um Sem nunca ser um.
Amor não é gula, E só sobrevive O amor que é manso, O amor verdadeiro, Feito de ternura, O amor que é livre...



No link abaixo eu interpreto uma canão de Elvis Presley, LOVE ME TENDER. Os cães latindo ao fundo fazem parte... 

http://www.smule.com/recording/elvis-presley-love-me-tender/240746628_511895154





Está Tudo Azul? - Estabilidade Emocional -

Imagem
Minha terceira participação no “Está Tudo Azul?” da Rosélia, pelo aniversário do blog!

ESTABILIDADE EMOCIOAL

Nossas emoções são tão instáveis quanto o clima. A gente percebe que muitas vezes, o meteorologista prevê chuvas, e não cai nenhuma gota, ou que então ele garante sol para o final de semana, e quando chegamos à praia, o céu está negro feito carvão, e um vento frio sopra aquela areia que arranha quando bate sobre a nossa pele. Assim são as emoções.
Temos a mania de achar que saberemos exatamente como agiríamos em determinadas situações, e por isso mesmo, gostamos de dar opiniões sobre os problemas alheios e conselhos aos outros. Mas será que se estivéssemos no lugar da pessoa a quem aconselhamos, faríamos tudo certinho? É fácil, de cabeça fria, sem estarmos envolvidos no contexto emocional de um acontecimento, darmos uma opinião sobre o que teríamos feito; porém, na hora “h”, as emoções tomam conta e podemos acabar fazendo coisas das quais duvidaríamos!






Por isso, é preciso que …

MEDIDA

Imagem
O que fazer Quando sentimentos, Saudades, Pensamentos, Tristezas, Alegrias, Não cabem em um poema?
O que fazer Se não há significados, Para o que mora No coração, Como memórias, Sonhos guardados, Desilusões,
E palavras como  Gratidão, Surpresa, Beleza, Música, Harmonia Perdem sua voz À luz do dia?
Onde encontrar Serenidade, Entendimento, Cumplicidade, Encantamento?
Deixo minhas linhas Subirem soltas Ao céu que há, Seja ele negro, Cheio de estrelas, Azul, dourado, Branco de nuvens Ou carregado De tempestades!
O que fazer, Como aceitar  Que a poesia -Esta palavra Em si, completa – Seja excluída, Seja enxotada, Seja banida?




TAG

Imagem
http://arteculturaespiritualidade.blogspot.com Barbara e Érika (link acima)
Fui convidada para participar desta tag pelas meninas Bárbara e Érika, e aceitarei com muita honra!
Regras: 1. Escreva 11 fatos sobre você. 2. Responda as perguntas de quem te indicou. 3. Indique 11 blogs. 4. Faça 11 perguntas para seus indicados. 5. Cole o selo da Tag na sua Postagem. 6. Link de quem te indicou.
Bem, vamos aos onze fatos:
1- Escrevo muito, todos os dias. As pessoas se surpreendem sobre como encontro tempo para cuidar da casa, preparar aulas (trabalho em causa dando aulas de inglês) e escrever. Eu sempre respondo que basta ter um pouquinho de organização, e que quando a gente está se divertindo naquilo que fazemos, o tempo não é problema.
2- Adoro ler. Leio muito também, embora não tanto quanto antigamente. Hoje em dia, por praticidade, economia e comodidade, leio mais através do meu Kindle do que de livros de papel, embora não tenha ‘dispensado’ os mesmos. 
3-Tenho alguns e-books publicados …

...E Depois de Tudo...

Imagem
Fui uma crítica ferrenha da realização das Olimpíadas no Brasil, já que pensava que nós faríamos muito feio, pois não temos condições financeiras de sustentar um evento deste porte.
Dei ambos os braços a torcer: o evento de abertura foi muito bonito, mais até do que muitos que vi por aí, ao longo dos anos. Após os problemas na Vila Olímpica serem resolvidos, tudo ficou bem.
Achei muito fora de lugar a tentativa de manifestação “Fora, Temer” de Caetano Veloso e de algumas outras pessoas, pois não era a hora e nem o lugar certo para estas manifestações. Também achei mal-educada e desnecessária a vaia que deram ao Presidente em exercício Michel Temer (assim como lamentei a vaia que deram à Dilma na Copa do Mundo; quem duvida, procure em meus textos antigos).
Uma certeza que me ficou, e pela qual eu lamento muito, é que temos sim, capacidade para organizar eventos deste porte e até maiores que este; podemos mudar as cidades em um curto espaço de tempo, melhorando as condições dos hospita…

COSTURA

Imagem
Segura firme As linhas poucas Da tua costura, Pois que elas abrem, Pois que elas fendem, Pois que elas mostram O que te resta Da tua pouca Compostura!
Estica a linha, Passa na agulha, Costura o rasgo Dessa lisura, Que só atesta O que te resta, Essa fratura Na tua testa!
Prende bem forte Borda por cima Um sol ardente Nesse teu medo, Nesse teu asco Que nunca mente Sobre a mentira Que é tua vida: Retalho podre De podre  fita!






SEMANA AZUL DA ROSÉLIA - ESTÍMULO PARA VIVER

Imagem
Rosélia, grata pelo convite, e eis a minha participação.

Há momentos em que nos sentimos cansados; poderá ou não haver um motivo óbvio para este cansaço, porque nem sempre conhecemos seus motivos; o cansaço das coisas pode estar em algum fato que nos recusamos a enxergar, pois admiti-lo nos obrigaria a tomar uma atitude para a qual não nos sentimos preparados, como por exemplo, um relacionamento falido, um emprego que já não nos sustenta mais a alma, a casa da qual não gostamos. Porém, enquanto continuarmos a negar o óbvio, tentando socá-lo com força para algum lugar dentro de nós onde ele esteja obscurecido e temporariamente invisível, tal cansaço não desaparecerá, podendo transformar-se em algo bem mais complicado, como uma doença ou depressão.
Precisamos de coragem. É só através de um olhar cuidadoso sobre nós mesmos e nossos motivos, que encontraremos o estímulo necessário para fazer de nossas vidas o que é certo a fim de podermos ser felizes. Alguns precisam de ajuda profissiona…

PIADA

Imagem
Talvez
A vida seja uma piada
Que só entenderemos
No último minuto.




HEROÍSMO

Imagem
Estamos nos aproximando dos tempos em que os heróis começarão a aparecer novamente, com suas promessas de um mundo melhor e resolução de todos os nossos problemas. Melhor estarmos atentos! Verdadeiros heróis não são aqueles que fazem propaganda de si mesmos. Eles estão inseridos no contexto do dia-a-dia, e nem sequer sabem de seu heroísmo. Se alguém lhes dissesse o quanto são corajosos, diriam que estão apenas fazendo o melhor que podem daquilo que a vida lhes concedeu.
Quando se pensa em heroísmo, logo nos vêm à cabeça fama, grandes feitos, realizações gigantescas, fatos históricos. É muito difícil que alguém veja como heróis a dona de casa que cuida com amor de sua família, o professor que atua em sala de aula recebendo um salário longe de digno, os homens que viajam na caçamba de um caminhão de lixo respirando aquele cheiro horroroso, catando o lixo que a maioria produz, sem segurança nenhuma, e sem reconhecimento. Ninguém enxerga como heróis as tantas pessoas que saem cedo de cas…

A BONECA E O TEMPO

Imagem
Eu Era menina ainda. Esperava pelo natal e pela boneca que pedira. Começava a sonhar com ela em meados de setembro, pouco antes do meu aniversário, pois já tinha sido avisada de que a grande boneca que eu sempre sonhara, mais uma vez não chegaria. Quem sabe, no natal? E sonhando, eu a imaginava (e ela era como uma criatura viva). Escrevia-lhe cartas, criava uma personalidade e um nome para aquela boneca que nunca entrou na minha vida. E o tempo demorava a passar. Embora o Natal parecesse não chegar nunca, esperar e sonhar era o mais gostoso. Instintivamente, eu sabia que não ganharia a boneca, pois ela era cara demais e meus pais não tinham condições de comprá-la para mim, mas nada me impedia de sonhar, e ela já era real, existia em minha mente e nas cartinhas que eu escrevia para ela.
Às vezes, íamos à loja na qual ela estava, exposta ao público, enorme – era quase do meu tamanho – os olhos azuis de vidro fitando um mundo que eu ansiava desvendar. E eu tocava a sua mão de borracha m…